sexta-feira, 16 de abril de 2010

Pão na Caneca





Para aquela hora de pressa!

INGREDIENTES:

4 Colheres (sopa) rasas de amido de milho ou creme de arroz;
1 Ovo;
1 Colher (sopa)de azeite;
4 Colheres (sopa) de leite ou água;
1 Colher (chá) rasa de fermento em pó;
Sal a gosto.

MODO DE PREPARO:

Em uma caneca misture bem todos os ingredientes, deixe o fermento por último.
Ponha no microondas 2 minutos e meio em potência máxima.
A massa vai subir e ficar tipo um bolinho.
Espere esfriar um pouco, as vezes ele ainda acaba de assar depois de desligado.
Retire da caneca com ajuda de uma faca, fatie ou divida ao meio e tá pronto para um lanchinho!
Hoje fiz este no café da manhã!



Um beijo grande!!!

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Esfira Sem Glúten

Olá pessoal!
Gostaria muito de agradecer aos leitores que me surpreenderam com mais de 600 acessos! Fiquei muito feliz!!!!
Desde que descobri a intolerância ao glúten surgem vontades de alimentos proibidos do nada... Outro dia me lembrei das fornadas de esfiras que minha avó paterna fazia, dona Tereza, a família toda reunida na cozinha esperando e aquele cheirinho... Hummm.
Comprei uma bandejinha outro dia (caríssima) esfiras de frango... A massa e a bandeja de isopor não teriam gosto diferentes se fosse comparar, o recheio então... Seco com gosto de nada!
Bem, fui procurar receitas para fazer a "nossa versão", mas não encontrei nada, nenhuma esfiha!
Cheguei à conclusão que deveria ser difícil, já que a massa tem que ser muito  manipulada, mas minha "lombriga" era maior, e fui à tentativa! Uma adaptação à receita da vó, e ...
Adianto que matei a vontade ;)
Vamos à receita:








INGREDIENTES:
Massa:
2 xícaras de farinha de arroz;
1 xícara de polvilho doce;
1 envelope de melhorador de farinha para pizza*
1 colher de sopa de açúcar;
1 colher de café de sal;
1 colher (sopa) de fermento para pão (um envelope de 10g);
2 colheres de chá de liga neutra (emulsificante para sorvete)
2 ovos;
½ xícara de óleo
2 colheres de linhaça;
Leite morno até dar ponto de amassar.

* No link está o melhorador que usei, "merchan" à parte, pois ainda não tenho patrocinadores ;)
(http://www.fleischmann.com.br/culinaria/default.asp?page=http://www.fleischmann.com.br/culinaria/produtos/produto_linha.asp?id=483)

Recheio:
200 g de carne moída crua;
1 cebola pequena picada;
2 tomates picados;
Cheiro verde a gosto;
Sal;
Azeite;
Suco de meio limão.
Misture todos os ingredientes e tempere a gosto.

MODO DE PREPARO:


Coloque na vasilha que for preparar a massa: o fermento, açúcar, 3 colheres da farinha de arroz e um pouco de água morna, faça um creme e deixe em local abafado por 20 min.
Tentei capturar a aparência:
Após o tempo, o fermento reage e forma o que chamo de "esponjinha" (foto), então junte (já amassando):
 as farinhas já misturadas, melhorador, sal, os ovos batidos, a liga neutra, o óleo e o leite aos poucos até que dê ponto de amassar.

Obs: Errei no ponto e a massa ficou pegajosa, então acrescentei creme de arroz até que ficasse no ponto.
Ficou uma massa bonita, vejam a foto:


Faça bolinhas, usando um pouquinho de óleo das mãos para não grudar e ponha para crescer:

Mais ou menos 20 minutos depois as bolinhas cresceram:
Então pegue uma por uma e vá abrindo até formar um círculo, coloque o recheio no centro e una as laterais formando um triângulo:















Aí está o passo a passo, grau de dificuldade de 1 a 10: dou 5, apesar do meu querido namorado dizer que parecia uns peitos de frango na assadeira (risos)!

Pincele com gema ou mel com água para ficar coradinha e depois é só por para assar em forno pré-aquecido.
O tempo de forno é de mais ou menos 30 minutos, fique atenta para que não asse muito pois a massa tende a ficar muito ressecada. 
Fiz a experiência, a primeira fornada ficou mais coradinha mas meio ressecada, as mais branquinhas ficaram mais gostosas.

Obs: Já havia comentado da minha pouca prática na cozinha, rsrs sobretudo com as massas... As esfiras não ficaram bonitas, o aspecto meio rachadinho da massa sem glúten ainda não consegui superar. 
Teria sido mais fácil fazê-las abertas, inclusive dava para rechear mais, mas a vontade era de comer essa! Assim... fechada como a que vejo na rua, rsrsrrs.

Então... O resultado!!!!!




Apesar de não muito bonitas, estavam deliciosas, ah aquele que disse que parecia peito de frango? Adorou!!!  Já ingressou na alimentação sem glúten também. 
Beijos e até a próxima!

sexta-feira, 9 de abril de 2010

QUIBE SEM GLÚTEN (COM PROTEÍNA DE SOJA)





Nunca mais havia comido quibe e eu amo de paixão essa comida... Ai... principalmente o quibe crú, com cebolas em rodelas, azeite e um limãozinho... Me dá até água na boca! 
Quibe ou kibe é um prato típico do Oriente Médio que consiste em um bolo de carne moída, temperada com ervas, que pode ser cru, cozido ou frito. 
É um prato muito popular e considerado o prato nacional no Líbano, Síria e Iraque.
No Líbano, o quibe crú servido num dia, é cozido para ser servido no dia seguinte.

Ontem resolvi testar uma receita com proteína texturizada de soja (pts) e não é que ficou bom!?
Para falar a verdade muito próximo do tradicional com trigo.
Sou adepta da comida light, evito frituras no dia-a-dia, assim fiz recheado e assado.

Receita Quibe:

Ingredientes: 
Massa - 
4 xícaras de proteína texturizada de soja desidratada;
½  quilo de carne moída sem gordura;
2 colheres de quinua em flocos;
Azeite;
1 cebola;
2 dentes de alho;
Sal ou tempero pronto;
Pimenta síria.

Recheio:
3 tomates;
1 cebola ;
folhas de hortelã;
Queijo branco ou mussarela;
Suco de meio limão;
Azeite;
Sal.
* Acrescentei folhas de rúcula picadinhas pois não tinha hortelã.

Modo de preparo: 
Coloque a soja de molho em água morna mais ou menos meio litro de água por aproximadamente 15 minutos.
Quando estiver hidratada, escorra a água e esprema com ajuda de uma peneira para tirar o excesso de água, passe a proteína no processador, ou moedor de carne e reserve.
Passe a cebola, o alho um pouco de azeite no processador (ou pique bem pequeno) e misture à carne com o tempero pronto ou sal e a pimenta síria.
Misture a soja à carne e junte a quinua, amassando com as mãos até que fique homogênea.

Recheio: 
Pique em cubinhos o tomate e a cebola, tempere com azeite, limão, sal e junte as folhinhas de hortelã ou como no meu caso a rúcula.

Em uma assadeira, ou refratária arrume a massa do quibe moldando até que cubra o fundo da vasilha, coloque o recheio (retire o excesso de água) bem espalhado e cubra com queijo. Cubra o recheio com o restante da massa passe um fio de azeite por cima e ponha para assar.
O tempo foi de 40 minutos.
Infelizmente no meu faltou o toque da hortelã, mas mesmo assim ficou muito bom!
Não tinha experimentado nada com a pts, apesar de ouvir falar tão bem dela, agora fiquei fã. 
Beijos e até o próximo post.








sexta-feira, 2 de abril de 2010

SEPARÔ!



Engraçado...
Essa música me atraía... 
Eu não sabia o que era, ela não é romântica como as outras músicas da Trupe.
Não é engraçada como "Zaluzejo", que mesmo sendo engraçada, é profunda em sua poética referência à forma de falar de uma pessoa simples e sem estudo, que fala errado mas sabe e vive o que diz, vale lembrar.
Mas voltando na Separô, devia ser um sexto sentido que intuía que um dia a farinha não faria mais parte da minha vida!
E com essa notícia tive que separar o joio do trigo e de outros grãos como a aveia, a cevada, o malte e o centeio... E para uma pessoa que simplesmente a-do-ra comer... "Separô diante de mim quando minha tristeza era parte do dia"!
Uma nova vida se colocava à minha frente para ser descoberta, novos hábitos teriam que ser praticados, novos passeios com o namorado, bebidas, delícias e experiências... 
Limites, regras e restrições mostraram seus sentidos frente à coisas tão simples da vida e então  "Separô pra pensar no que a gente faria, se não restasse farinha pro nosso pão"!?
Quando o trabalhador está pronto, o trabalho aparece! Assim diz minha mãe... Eu estava pronta, nós estamos sempre prontos, então fui à luta, à procura de informações do que me faria bem e  "Iria só até o fim, daria tudo e mais um pouco de mim"!
Agora estou aqui, cheia de saúde e de coisas para contar, oferecer e experimentar, assim é a vida, põe dificuldades hoje que não mais serão amanhã. 
Eu? 
Sou mais forte, bem maior e digo: "Separa um tanto que o outro eu te dou".
Hoje sei que posso ajudar quem precisa, tento fazer sempre que posso, assim o blog é motivo de orgulho para mim e isso é a importância da tecnologia na informação, na comunicação...
Vou terminando o post filosófico, com a ajuda do Fernando Anitelli e sua Trupe do Teatro Mágico que sem saber inspira a tantos motivos na vida, termino com mais uma frase deles: "Separa a chuva pra continuar flor!"


Um beijo grande e boa noite!

Para quem ainda não conhece a música: Vale a pena! ;)

 http://letras.terra.com.br/o-teatro-magico/361400/