domingo, 30 de janeiro de 2011

Pão de Máquina Sem Glúten e Sem Lactose Com Linhaça e Amaranto.

Mais uma experiência com a Máquina de Pão!!!!


INGREDIENTES:
1/2 xícara da farinha preparada (2 xíc. farinha de arroz, 2/3 de xíc. de fécula de batata e 1/3 xíc. de polvilho doce.)
1/2 xícara de farinha de soja;
1/4 de xícara de Amaranto em flocos;
1/4 de xícara de polvilho doce;
1/4 de xícara de maisena;
2 colheres (sopa) de sementes de linhaça;
3 colheres (chá) Goma Xantana;
2 colheres (sopa) de fermento instantâneo;
1 colher (chá) de sal;
2 ovos mais 2 claras;
1 xícara de água;
2 colheres (sopa) de óleo;
2 colheres (sopa) de mel;
2 colheres de vinagre de maçã.


MODO DE PREPARO:
Misture todos os ingredientes secos em uma vasilha, use um batedor de claras para misturar bem.
Em outro recipiente misture todos os outros ingredientes, despeje o líquido no meio dos secos e misture bem até formar uma massa homogênea.
Transfira a massa para o recipiente da panificadora. 
Encaixe-a na máquina e programe para ciclo rápido (1h e 40 min.).


As fotos abaixo são do pão que fiz com meia receita. Ficou branquinho, com a casca grossa e escura. Gostei muito do resultado.



Repeti a receita do pão mas dessa vez fiz a receita inteira. Acrescentei os ingredientes no recipiente da máquina e programei para "Pão Rápido".
A cor da casca coloquei no médio, mas da próxima colocarei clara. 
Demorei um pouco para retirar da máquina, o que pode ter acarretado na cor diferente do pão. Se não foi isso não faço idéia do que foi. A mesma receita rendeu um pão escuro, mas muito saboroso também.


O pão não esfarela com facilidade, a umidade ficou ideal e o corte muito fácil.
Amei o resultado da panificadora nessa receita, aliás está na hora de devolvê-la para a dona e aguardar a minha, rs!

COXINHA E RISOLES SEM GLÚTEN.


Olá! Esse post é dedicado a uma pessoa muito querida, a Leila! Uma amiga de minha mãe, que nos enviou essa receita.
Leila e o marido vendiam essas coxinhas em Palmas e faziam o maior sucesso, mas se mudaram daqui, então ela me ensinou por e-mail. 
No lugar da farinha de trigo usei a farinha preparada e ficou perfeita. Caso você tenha restrição ao uso do leite, pode usar caldo de carne ou frango (aquela água que fica quando se cozinha o peito de frango ou carne) para substituir. 
INGREDIENTES:


FARINHA PREPARADA:
1 xícara de farinha de arroz;
1 ½ xícara de maisena;
1 ½ xic de polvilho doce;
½ xícara de farinha de milho (fubá).

1 kg de mandioca cozida;
150 g de margarina (ou creme vegetal);
1 colher (chá) de sal;
Leite (mais ou menos 500 mL);
Farinha preparada até dar ponto (mais ou menos 750 g)

Recheio coxinha:
300 g de carne moída frita com sal, cebola e alho;
Meio salame moído no processador;
Um tomate e meia cebola, batidos no processador;
Cheiro verde;
Uma pitada de açafrão;
Misture todos os ingredientes.

Recheio risoles:
Creme de milho;
Queijo em cubos temperados com um fio de azeite e orégano.

MODO DE PREPARO:
Passe a mandioca no multiprocessador (ou liquidificador caso não tenha).
Em uma panela grande de fundo grosso coloque a mandioca (fica um purê), a margarina e o leite. Vá mexendo até abrir fervura. A esse creme adicione a farinha aos poucos. Mexendo sempre com uma colher de pau. Aos poucos a massa vai endurecendo e ficando com um aspecto brilhante. Essa é a parte mais difícil, pois precisa bastante força para mexer a massa toda até que vá desgrudando do fundo da panela.
O ponto da massa é quando ela solta do fundo mas ainda gruda na colher.
Desligue o fogo e transfira para uma bancada ou bacia para esfriar um pouco.
Quando a temperatura estiver suportável sove a massa.

 Esse é o aspecto depois de sovada.


 A massa fica firme, não gruda nas mãos e fácil de moldar.
Agora é só modelar as coxinhas. Aprendi com minha avó a fazer uma bolinha, furar o meio com o dedo, abrindo espaço para o recheio. Acrescente o recheio e feche as coxinhas.
Os risoles eu fiz da mesma maneira que faço pastéis, abrindo com um rolo de massa, recheando com o creme de milho, o queijo e modelando com um copo.
Depois de prontos, passe no ovo (ou na água) e empane em farinha de rosca sem glúten (fubá ou farinha de mandioca fina também funcionam perfeitamente).
Agora é só fritar em óleo quente.







As fotos foram feitas de um celular e não reproduziram a beleza desses salgadinhos. 
Ficaram bonitos e tão saborosos a ponto de não se perceber que são sem glúten.
A receita rendeu muitos salgados, cerca de 100, não deu tempo de contar pois estava ansiosa para experimentar, rsrs.
Armazenei os salgados no freezer, em bandejas de isopor cobertas com filme plástico. Para fritar depois disso, prefiro descongelar no microondas, pois se colocar direto no óleo quente pode queimar por fora e não chegar a fritar por dentro. 
Bem e o resultado do depois eu fotografei:

Suuper não? 







quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Nova página: Farinhas sem glúten.

Criei uma nova página no blog, logo acima: Ingredientes e Farinhas sem glúten.
Tirei fotos de embalagens para facilitar o reconhecimento no supermercado, logo postarei um apanhado de misturas que considero ideais ter prontas para o preparo das receitas. Clique em cima na página ou no link aqui.
Beijos e boa noite!

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Pastel Sem Glúten com Massa de Pão de Queijo

Boa noite!
Já postei aqui essa receita em forma de enrolado, vi na comunidade do Orkut Cozinhando Sem Glúten.
Faz tempo que tenho vontade de experimentar o pastel feito com a massa de pão de queijo (mistura pronta). Tinha um pacotinho em casa (foto abaixo) e resolvi testar.
O preparo é como manda a receita do pacote, acrescentei 2 ovos, 150g de queijo meia cura e mais ou menos 210 mL de água. Misture tudo e sove bem a massa.


 Esse é o produto que usei!

Abra a massa com um rolo sobre um filme plástico.


Distribua o recheio desejado (fiz de queijo branco, azeitonas e palmito, salpiquei orégano e um fio de azeite).
      Feche a massa e corte com a borda de um copo. Amasse a borda com um garfo.
                                      Depois é só fritar! Ficou bem sequinho.

                     Ou assar! O assado ficou bem crocante, durinho mesmo, mas ficou bom. Guardei alguns no congelador e assei novamente, deixando menos tempo no forno. Ficaram bem macios.
 Esse pastel é prático e muito saboroso. Até parece o de feira não acha?
Beijos e até mais.




  

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Panquecas Sem Glúten.

Boa noite a todos!
Tenho recebido muitos e-mails de pessoas que descobriram recentemente a intolerância ao glúten ou a Doença Celíaca, e sei bem como se sentem. Elas me escrevem pedindo ajuda pela dificuldade com a dieta principalmente as substituições no café-da-manhã.
Para essas que estão começando a lidar com tudo isso recomendo sempre o pãozinho de panela, os biscoitos ou até mesmo uma panqueca básica. Todos com receita no blog.
As panquecas que posto hoje são antigas mas não havia postado. 
Para quem começa a se aventurar na cozinha panqueca é uma boa pedida. Pode-se fazer rapidinho pela manhã e rechear com o que quiser, presunto e queijo, geléia e tantas outras opções. 
Aí vai a minha receita:


INGREDIENTES:
2 xícaras de farinha preparada (2 xíc. de farinha ou creme de arroz, 2/3 de xíc. de fécula de batata, 1/3 de xíc. de polvilho doce);

A ponta de colher de café de CMC (se ainda não conhece, clique aqui.)
1 colher rasa de café de fermento;

1 colher (sopa) de óleo;
1 xícara de leite desnatado;
2 ovos;
Sal a gosto.
Bata tudo no liquidificador e coloque mais ou menos uma concha média em frigideira aquecida com um fio de óleo.

O ponto é sempre uma dúvida, se ficar mole acrescente farinha, se ficar muito firme um pouquinho mais de leite.
Aí está a imagem da panqueca logo que coloca na frigideira.



Depois vire-a, o show da viradinha jogando para cima fica por conta do meu noivo, rs
E recheie a gosto!De manhã presunto e queijo...



E a que eu adoro, com muito molho à bolonhesa!




 Essa foto é ainda mais antiga, tiramos com o celular, nem sonhava em criar o blog ainda! A foto não faz jus ao sabor, estava boa demais.


OBS: Aproveite as panquecas e faça LASANHA!!! No Blog: link

Pãozinho de Linguiça Sem Glúten e Lactose * (sem lactose ao retirar o queijo do recheio)

Vi essa receita no Blog da Cláudia Marcelino e me deu água na boca.
Achei bem fácil de fazer e deliciosa!
Não ficaram lindos como os dela, mas tive a impressão de passar na padaria e trazer um lanchinho pra casa, sabe?

Segue receita:

INGREDIENTES:
3 xícaras da mistura de farinha sem glúten (2xíc. de farinha ou creme de arroz, 2/3 de xíc. de fécula de batata, 1/3 de xíc. de polvilho doce);

2 e 1/2 colheres das de chá de CMC (dúvidas clique aqui);

1 colher das de chá de gelatina em pó sem sabor;

2 colheres das de sopa de açúcar + 2 colheres das de chá para levedar o fermento;

1 colher das de chá de sal;

1 e 1/4 de xícara de água mineral morna + 1/2 xícara para levedar o fermento;

1 colher das de sopa de fermento biológico seco;

1/4 de xícara de óleo vegetal;

1 colher das de chá de vinagre de maçã;

1 ovo + 2 claras.

MODO DE PREPARO:
Em uma vasilha média, coloque a farinha, o CMC, a gelatina, o sal, o açúcar se for usar e misture com um batedor de ovos.

Em uma vasilha pequena, misture a 1/2 xícara de água morna com as duas colheres das de chá de açúcar e o fermento. Deixe levedar, levantar uma espuma, forma uma esponjinha.

Misture o óleo com a xícara de água morna e o vinagre. 

Coloque-a sobre a mistura de farinha e bata com a batedeira em velocidade baixa para misturar.

Adicione os ovos, bata novamente em velocidade baixa. Adicione o fermento e continue batendo em velocidade baixa e em seguida aumente para velocidade máxima. 

Bata por 3 minutos.
A aparência da massa é essa. Branquinha e bem porosa.


Depois de pronta a massa distribua em forminhas de empada untadas e enfarinhadas. Passe a massa no contorno da forminha para dar espaço para o recheio.


Para o recheio fritei lingüiça picadinha com cebola, alho e cheiro verde.
Acrescentamos um queijinho.



Cubra com a massa e coloque para crescer em local abafado (microondas).

As minhas forminhas são de empada, pequenas e como ficaram muito cheias quando a massa cresceu... transbordou:


Coloque para assar até que fiquem dourados.


Os pãezinhos ficaram muito fofos, a massa é levinha.

E aí está o interior:
O ideal é que se use forminhas maiores, de muffin ou bolinhos, para render mais e não entornar a massa.

Essa receita da massa rende um belo pão também.
Espero que façam e degustem porque vale a pena! 
Me contem como foi, deixem comentários...
Beijos.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Recomeço...

E 2010 se foi!
Não sei porque, mas enrolei até para escrever isso...Acho que sei sim! 
2010 foi um ano de muitas mudanças em minha vida, para ser mais exata o ponto de partida para as mudanças, o que muitas vezes é o mais difícil.


Em 2010 fui pedida em casamento! Ponto de partida para uma grande mudança, viver ao lado do homem que amo, ótima novidade!


Mas em 2010 também percebi que sentia falta de algo, não sabia ao certo se era profissionalmente ou pessoal, sentia que havia algo por fazer, mas não identificava o que.


Com ajuda de pessoas muito queridas descobri e prestei vestibular... 
Mais certa do que nunca escolhi meu novo curso: NUTRIÇÃO... Passei na faculdade federal e ontem fiz minha matrícula!


Eis que 2011 mal começou e tenho um casamento para organizar e uma faculdade começar! Mudanças plenas para um ano muito próspero.


Espero desse curso conquistar conhecimento, com estudos e pesquisas principalmente em alergias e intolerâncias alimentares, espero poder fazer mais pelas pessoas e pela pesquisa.


Ainda espero ter tempo para cozinhar e postar as delícias no blog! 
Será que é esperar muito? Acho que não, porque o vazio que sentia... Ah esse se foi junto com 2010.


Feliz Ano Novo!!!!!! Que os sonhos de vocês se renovem com a esperança de um ano melhor!
Beijos... Josi. 

Pão de Panificadora Caseira. Sem Glúten e Sem Lactose.

Boa noite!
Já recebi pedidos de receitas de pão de máquina, mas não tinha a menor idéia de como funcionava. Esses dias emprestei de uma amiga para tentar fazer o pão sem glúten. 
A receita peguei nesse Blog que sempre leio e no quesito praticidade esse pão é 10! 
Misturei tudo e coloquei na panificadora, em 3  horas o pão estava pronto sem trabalho e sem sujeira.
Ainda não achei o ponto ideal, achei esse pão nota 7 (de 0 a 10), mas quando fica pronto é uma maravilha a sensação de fazer quase nada e ter um pãozinho quentinho te esperando, rs e SEM GLÚTEN!!!!
Segue a receita:

Misture as farinhas:
1 xícara de farinha de arroz
1 ½ xícara de maizena
1 ½ xic de polvilho doce
½ xícara de farinha de milho

Misture bem todos os ingredientes com um batedor de claras e coloque num recipiente fechado.


INGREDIENTES:

1 ovo inteiro + 1 clara;
½ colher de (cha) de vinagre de vinho branco;
2 colheres ( sopa) de mel;
3 colheres ( sopa) de margarina (Becel) derretida;
1 xícara ( 250ml) de água; 
2 xicaras da mistura de farinhas acima;
1 colher de sopa de goma xantana + ½ colher de chá;
½ colher (cha) de sal;
1 colher (cha) de gelatina em po sem sabor;
3 colheres ( cha) de fermento para pão;

MODO DE PREPARO:
Misture os ingredientes secos, e os molhados separadamente. Acrescente o líquido às farinhas e misture até formar uma massa homogênea.
A massa ficou pesada, pegajosa.
Transfira a massa para o recipiente da máquina e programe para ciclo normal.

E esse foi o resultado:




O pão ficou bonito e gostoso, mas achei que ficou um cheiro forte de fermento. Vou tentar de novo colocando o fermento para levedar antes.
Até a próxima!

sábado, 8 de janeiro de 2011

Amaranto!

Olá, li essa matéria no Globo Rural ( LINK) e achei interessante publicar aqui. 
O Amaranto é uma opção muito nutritiva para as nossas substituições, acrescento às qualidades descritas abaixo que não contém glúten,
Assim esperamos que a distribuição seja melhor e com preços mais baixos. 


Ministério da Agricultura aprovou os requisitos fitossanitários para importação de grãos de amarantoproduzidos no Peru. As regras para a entrada do produto no Brasil, baseadas no estudo de Análise de Risco de Pragas, foram publicadas na Instrução Normativa Nº 1, do Diário Oficial da União desta sexta-feira (07/01). 

Os carregamentos com os grãos deverão estar acompanhados de Certificado Fitossanitário emitido pela Organização Nacional de Proteção Fitossanitária (ONPF) do Peru. As partidas importadas serão inspecionadas no ponto de ingresso. Caso seja identificada a praga quarentenária (sem registro de ocorrência no Brasil), a ONPF do Peru será notificada e o país poderá suspender a importação de amaranto até a revisão da Análise de Risco de Pragas. 

A ONPF do Peru deverá comunicar à ONPF brasileira qualquer alteração na condição fitossanitária da cultura do amaranto nas regiões produtoras que exportam ao Brasil. O não cumprimento das exigências estabelecidas na Instrução Normativa será motivo de suspensão da entrada do produto no país. 

A semente do amaranto mede cerca de um milímetro de diâmetro e é uma importante fonte de proteínas, cálcio ezinco, além de contribuir para a redução dos níveis de colesterol. O produto pode ser utilizado como farinha ou pré-cozido em saladas e na produção de pães, bolachas, barras de cereais e musli.